ESPINHAS INTERNAS: QUAIS SÃO AS CAUSAS E COMO TRATÁ-LAS

Espinhas internas

As espinhas internas, embora não sejam tão aparentes como as externas, podem ser um grande problema para muitas pessoas. Isso porque elas deixam parte da pele inchada, avermelhada e costumam doer mais do que as espinhas aparentes. E, além disso, são mais difíceis de serem removidas.

Os adolescentes são os que mais sofrem com as espinhas internas, mas elas também podem aparecer em pessoas adultas.

Espinhas internas

Como se formam as espinhas internas

As causas das espinhas internas não são muito diferentes das externas. Esse problema surge em razão do excesso da produção de oleosidade das nossas glândulas sebáceas.

Em geral, as espinhas surgem nas mulheres devido à estimulação excessiva dos hormônios e nos homens, em razão da testosterona. Mas essas não são as únicas causas para o desenvolvimento das espinhas, que costumam aparecer mais na face.

A proliferação de agentes, como bactérias, também podem ser a causa das espinhas internas. Essas bactérias ficam na área interna da pele, normalmente ao redor dos pelos, inflamando-os.

Tratamento para as espinhas internas

A primeira coisa importante para tratar corretamente as espinhas internas e não as espremer. Muita gente acha que conseguirá se livrar do problema extraindo-as por conta própria, em casa mesmo. Além de, geralmente, não conseguir se livrar delas, a área pode inflamar – o que piora a condição da espinha interna.

Mas existem algumas dicas que podem ajudar a diminuir a inflamação e o aspecto feio que esse problema traz à pele. Confira algumas dessas dicas:

 

  • Compressas: esquente um pouco de água e espere que ela esfrie até atingir uma temperatura que não queime a sua pele.

Com um pedaço de algodão ou gaze, deixe essa água agir por alguns minutos sobre as espinhas internas. Esse processo reduz o aspecto da espinha, alivia inflamações e pode até fazer com que ela desapareça da sua pele. Faça o procedimento diversas vezes ao dia.

  • Esfolie a pele: 1 vez por semana, você pode esfoliar a sua pele, principalmente, nas regiões onde estão as espinhas internas. Para fazer esse processo, porém, evite usar receitas caseiras, que podem arranhar e machucar a pele e até piorar o problema.

Use um cosmético específico para a esfoliação do seu tipo de pele. Mas, atenção, como mencionado, faça o processo apenas 1 vez na semana, para não ferir a sua cútis.

 

  • Vaporização: suas espinhas internas estão inflamadas e muito vermelhas? Experimente fazer uma vaporização na pele. Isso ajuda muito a reduzir esses incômodos.

Esquente água e direcione o vapor que sai dela na região das espinhas eternas. Você verá que o aspecto da pele melhorará muito.

Isso porque o vapor ajuda a abrir os poros da pele e a espinha pode até mesmo expurgar o pus que ela carrega. Esse procedimento pode ser feito diversas vezes ao dia. Não há contraindicações.

 

Tratamento dermatológico para espinhas externas

Apesar das dicas caseiras ajudarem a gente se livrar as espinhas internas, a maioria delas apenas saem mesmo com um tratamento especifico, indicado por um médico dermatologista. Ao consultar um médico, provavelmente, ele indicará medicações tópicas, que deverão ser usadas conforme a sua indicação.

Esses remédios costumam secar a espinha, fazendo com o que próprio organismo a absorva e a sua pele volte ao normal. Já nos casos mais graves, em que a pessoa tem muitas espinhas internas ou elas sejam muito grandes e inflamadas, pode ser necessário remédios orais – para reduzir a inflamação.

Seja como for, siga à risca as indicações do médico. O dermatologista também pode indicar limpezas de pele frequentes. Caso ele lhe dê essa orientação, procure um bom profissional para limpar a sua pele.

Como evitar as espinhas externas

Essa é a dúvida de muitas pessoas que sofrem com esse problema. Embora, na maioria dos casos, as espinhas se formem por alterações hormonais e excesso da estimulação de glândulas, há algumas maneiras de evitá-las ou, pelo menos, diminui-las. Veja as sugestões:

  • Lave o rosto com um sabonete adequado de 2 a 3 vezes por dia,
  • Procure evitar consumir alimentos com muita gordura,
  • Não use creme ou outros cosméticos, que não sejam indicados pelo seu médico dermatologista. Alguns produtos estimulam a produção da oleosidade pelas glândulas sebáceas, piorando o seu problema,
  • Jamais esprema em casa cravos ou qualquer tipo de espinha. Isso costuma deixar a pele extremamente irritada e inflamada, com uma aparência vermelha, bem desagradável para você,

• Por fim, nunca abra mão do protetor solar, mesmo no Inverno. A ação dos raios solares pode criar a falsa sensação de que as espinhas internas secaram, mas o efeito rebote piora a situação delas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.